História

por Interlegis — última modificação 28/02/2019 20h17

Itacoatiara está entre os núcleos urbanos fundados pelo colonizador português. Inicialmente, uma aldeia itinerante implantada no rio Madeira, povoado rústico constituído exclusivamente de índios e administrado pelos padres jesuítas. Depois, um pequeno agrupamento de casas a beira do rio Amazonas, englobando moradores da ex-aldeia de Abacaxis, logo rotulado de vila, povoação de categoria superior à aldeia e inferior à cidade, que se desenvolveu fundamentalmente à custa de atividades agroextrativistas.

No período colonial, define-se Município como uma entidade criada por um instrumento jurídico denominado foral de vila ou carta reguladora de localidade, concedido pela metrópole portuguesa. A Carta régia de 6 de junho de 1755, pautada nas Ordenações Filipinas, disciplinava a predição dos núcleos catequistas ou aldeias que deram origem às principais cidades amazônicas. Fora estabelecido, à época, o mínimo de 150 moradores para formação de uma vila de Municípios que se iniciava oficialmente com a instalação da Câmara e a posse de seus vereadores. Até fins do período, os presidentes da Câmara acumulavam todas as funções políticas. De 1828 em diante, sem as atribuições judiciarias, as casas legislativas passaram a meras corporações administrativas.

Município e cidade são entes que não se dissociam. Cidade é o ente palpável, um complexo demográfico formado, social e demograficamente, por uma importante concentração populacional dedicada a atividades de caráter mercantil, industrial, financeiro e cultural. Município é a entidade administrativa urbana e local. Em nosso país, pode-se dizer que o termo equivale à definição legal de cidade. Mas, a expressão Município se refere a um determinado grau hierárquico de administração governamental e a um grau hierárquico de administração governamental e a um grau de divisão territorial que às vezes transcende a ideia de cidade.

O município de Itacoatiara acaba de completar seus 251 anos de idade. Representado pela antiga Câmara Municipal de Serpa e instalado na data em que o povoado de Abacaxis foi elevado à categoria de vila - 1º de janeiro de 1759, foi precedido o núcleo urbano que deu origem à cidade.

Por outro lado a cidade-sede do município possui exatos 327 anos. Ela veio da aldeia missionária criada no rio Mataurá em 1683; transferida para o Canumã em 1961; para o Abacaxis em 1696; para o rio Madeira em 1757; e para o local onde atualmente está assentada em 1758; que sucedeu à Vila de Nossa Senhora do Rosário de Serpa, criada em 1759; cidade que recebeu esse floral em 1874.

Do livro - Câmara Municipal de Itacoatiara (SINOPSE HISTÓRICA) do Historiador Francisco Gomes da Silva.

Sinopse Histórica