OUVIDORIA GERAL DO ESTADO VEIO À ITACOATIARA CONVERSAR COM A POPULAÇÃO

por Assessoria CMI publicado 22/04/2019 18h40, última modificação 07/05/2019 18h06

Aconteceu na manhã desse dia 18 de abril de 2019, Audiência Pública na Câmara Municipal de Itacoatiara - CMI, coordenada pela Controladoria e Ouvidoria Geral do Estado do Amazonas, objetivando ouvir as demandas da população local.

O presidente da CMI, Aluísio Isper Netto, deu as boas-vindas aos integrantes da Ouvidoria e ao povo presente, reiterando que a Câmara está aberta a todo e qualquer debate de interesse público.
Destacou a importância da vinda da Controladoria e Ouvidoria para o interior do estado, a fim de sentir os reclames da população, isso porque entende, que já está mais do que na hora de o desenvolvimento chegar ao povo do interior, porque Manaus é uma Cidade Estado, onde concentra a maioria dos recursos, ficando quase nada para o interior.
Netto citou o caso da área suframada, que há mais de 40 anos já poderia estar gerando emprego e desenvolvimento para Itacoatiara, mas só agora há a promessa que deverá ser efetivada. Falou também da posição geográfica privilegiada e que proporciona as melhores condições, para Itacoatiara se tornar uma cidade portuária.

Netto disse esperar que, aquilo que for reivindicado pela população seja respondido de forma positiva pelo Governo do Estado, porque, se não for assim, quem vão ser cobrados, como sempre, serão os vereadores.


- O senhor Rogério Sá Nogueira, subcontrolador geral de ouvidoria do Estado do Amazonas, órgão que controla as ouvidorias de todos os setores do Estado, disse que o objetivo da audiência é saber as demandas da população, colhendo os dados de forma presencial, direta e olho no olho, buscando as necessidades do povo amazonense. Aproximando assim os cidadãos do governo e dos gestores públicos. Ele assegurou que todas as demandas recebidas serão encaminhadas aos órgãos competentes, visando direcionar as ações do Governo do Estado.


- O Chefe da Central das Ouvidorias, Miguel Cruz, que é bisneto do saudoso Coronel Cruz, explicou a metodologia que seria utilizada na audiência, onde qualquer pessoa poderia se manifestar, bastando apenas se identificar e apresentar as suas demandas.
Ele disse ainda que todas as reivindicações seriam anotadas e encaminhadas aos diversos setores do Governo, com a devida devolutiva, que é a resposta à população, dando conta das resoluções ou não dos problemas.
Várias pessoas se manifestaram, como o Professor Francisco Farias “Lico”, João Manoel de Vasconcelos, Bárbara Passos, Jeniel Macedo, João Vieira, Rilary Lima, Tânia Chantel e o presidente da CMI, A. I. Netto.


As principais reinvindicações foram: Curso Universitários para atender a população indígena do município; transporte público para idosos, deficientes físicos e o povo em geral, dentro da cidade; melhoria do sistema viário de Itacoatiara e AM 010; reestruturação do hospital José Mendes, para servir como referência aos municípios vizinhos; desburocratização do processo de licenciamento ambiental; instalação de um fórum para a resolução das questões fundiárias e de titularização de terras, em Itacoatiara; instalação de uma escola militar; efetivação da delegacia regional da mulher em Itacoatiara, a fim de responder às demandas por conta da violência contra as mulheres.


O presidente da CMI, A. I. Netto, quando voltou a se manifestar, pediu a construção de duas escolas estaduais, em pontos estratégicos do Rio Arari; a intervenção do governador Wilson Lima, junto as empresas de telefonia celular, para a instalação de uma torre, a fim de atender as regiões mais longínquas do Rio Arari; construção da ponde do Ipixuna; pavimentação da Estrada do Mangueirinha e o desmembramento da maternidade do hospital José Mendes.
Ele finalizou, pedindo uma atenção especial do Governador Wilson Lima para com Itacoatiara, pois recebeu mais de 26 mil votos aqui. Lembrando dos famosos 150 mil reais prometidos de forma urgente, há quase dois meses, para começarem as cirurgias eletivas, mas que ainda não chegaram.