RESUMO DA SESSÃO ORDINÁRIA DO DIA 18 DE JUNHO DE 2019

por Assessoria CMI publicado 17/06/2019 23h00, última modificação 26/06/2019 13h49

- O vereador Francisco Rosquilde assegurou ao seu colega Richardson do Mutirão, que pediria no dia seguinte, para o prefeito Antonio Peixoto sancionar o Projeto de Lei que torna de utilidade pública a Associação ASPROITA, pois assim, poderá receber os recursos do Governo do Estado, inclusive já havia uma emenda destinada pelo deputado Cabo Maciel, para a compra de casas de farinha. Rosquilde aproveitou a oportunidade para agradecer ao deputado Maciel, pelas várias emendas destinadas à Itacoatiara.
Sobre a vinda do Governador, anunciada para esse dia 19 de junho, ele lembrou que foi um dos primeiros a dizer que não faria críticas ao Governo, por entender que não é fácil organizar um Estado das dimensões do Amazonas, em tão pouco tempo.
Reiterou que Itacoatiara é um município estrategicamente importante para o Estado e que vai se desenvolver, independentemente de quem seja o prefeito, pois em Manaus não há mais espaço para a construção de novos portos.
Rosquilde pediu ao governador Wilson Lima que faça tudo o que for possível por Itacoatiara, pela importância que o município tem para o Amazonas.
O Vereador convidou o povo a participar da audiência do dia seguinte, sobre a problemática da falta de leitos disponíveis nos hospitais públicos da Capital. Ele disse que o debate será importante, porque é preciso ter uma solução para esse problema sério, pois, várias pessoas já morreram enquanto esperavam pela liberação de um leito em Manaus. Além disso, Itacoatiara recebe pacientes de todos os municípios do Médio e Baixo Amazonas.

- Em aparte, o vereador Marcos Rodrigues falou sobre a carta de repúdio assinada contra ele, por conta das declarações que ele fez sobre a AIRMA, FECANI e o senhor Manolo. Ele ressaltou que não tem nada contra o FECANI, entretanto, aquilo que ele tem cobrado, é tão somente a prestação de contas dos recursos financeiros que a AIRMA recebe do Governo do Estado, da Prefeitura, dos patrocinadores e das vendas de barracas. Marcos disse que gostaria de ver a mesma agilidade, para a prestação de contas no portal da transparência, como tiveram para fazer a carta de repúdio.

- O vereador A. I. Netto focou seu discurso na explicação sobre o veto integral do Poder Executivo, ao projeto votado e aprovado pela Câmara, mudando o nome da Avenida Parque, acrescentando o nome do ex-prefeito e ex-vereador Jurandir Pereira da Costa. Ele ressaltou que há dois itens que abordam sobre o assunto, entretanto, os mesmos não são bem claros e, por isso, permitem interpretações dúbias. Netto detalhou todo os trâmites do processo.
Ele ainda falou sobre a notificação do Tribunal de Contas, sobre denúncia a respeito de concessão de desconto ou isenção total do ISS para as empresas Hermasa, Equador e Grupo Simões. Netto disse que o denuncismo não se sustenta, porque não tem base e nem provas, até porque, as isenções concedidas à Hermasa foram mais ou menos 20 anos atrás e nem existem mais. Quanto a Equador, nunca existiu e muito menos, existe atualmente algo a favor do Grupo Simões.
Netto ressaltou que tudo o que é votado e aprovado na Câmara é de forma transparente, transmitido ao vivo, além disso, tudo passa pelas comissões internas da Casa, para ver se não há nenhuma ilegalidade.

- O vereador Bernardo Santiago falou sobe a vinda do Governador, agendada para o dia seguinte, 19 de junho de 2019. Que desde já, agradecia de forma antecipada pelas obras que estavam sendo anunciadas.
Falou sobre a denúncia que recebeu de alguns pescadores, que estão sendo cobrados pelo Banco, por conta de um empréstimo feito por eles, acreditando em um candidato a deputado federal, que teria garantido que eles não precisariam pagar as parcelas, porque se tratavam de recursos a fundo perdido. Falou que já conversou com seu colega Rosquilde, para que, como advogado, possa analisar a situação e ver de que forma poderá ajuda-los. Pois o banco já deu o ultimato. Se não pagarem a dívida em 90 dias, terão seus nomes negativados e protestados em cartório.

- O vereador Joanilson Mendes frisou que acompanhou os discursos de seus colegas e percebeu que alguns estavam fazendo questão de dizer que nunca falaram mal do Governador. Ele disse que essa questão de falar mal é relativa, mas, que ele vai continuar fazendo suas cobranças, para quem quer que seja, naquilo que ele entender que seja pertinente. Ele destacou que esse é o papel do parlamentar, de cobrar e exigir, como ele tem feito no caso da Rodovia AM – 010, que não tem mais condições de tráfego. Joanilson acredita que o Governador só deu essa resposta imediata, porque a população reclamou pelas redes sociais, porque o presidente da Câmara, A. I. Netto, com os vereadores foram à ALE reivindicar, além da cobrança dos taxistas.
Joanilson disse que há muitas situações gravíssimas para serem resolvidas em Itacoatiara, ele espera que o atual engenheiro da SEINFRA não cometa os mesmos erros do passado, com obras malfeitas, como a ponte do aterro da Poranga.
Considerou um absurdo o valor de 300 mil reais, que vão gastar para fazer uma ponte de madeira para o Jardim Adriana. Questionou, por que o Estado e a Prefeitura não fazem um aditivo, a fim de construírem a ponte de concreto. Porque, de madeira, daqui a 5 anos vão precisar fazer de novo outra ponte.

- O vereador Arialdo Guimarães disse que falar mal ou não, é o que menos importa, porque, o importante é falar, pois assim, aparecem as soluções para os problemas.
Disse que sempre acreditou no Governador Wilson Lima, inclusive, quando completou os 100 dias de governo, quando a maioria estava criticando, ele ressaltou que ainda era cedo para fazer as cobranças. E agora as coisas já começam a aparecer.
Agradeceu ao deputado Cabo Maciel, ao senador Eduardo Braga pelas conquistas para Itacoatiara, como o rebaixamento do linhão de Tucuruí.
Reiterou seu discurso que a Prefeitura sozinha não tem recursos para asfaltar as ruas da cidade, que precisa da ajuda do Governo do Estado.